Quantas vezes posso utilizar o FGTS para um financiamento?

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é um direito de todo trabalhador brasileiro submetido à CLT, que funciona como um acúmulo de recursos ao longo do tempo de trabalho. Visando facilitar a vida de quem deseja a casa própria, os recursos desses fundos podem ser utilizados no mercado imobiliário, inclusive para um financiamento.

Ao mesmo tempo, há prazos estabelecidos entre um uso e outro, de modo a proteger o trabalhador e evitar um gasto excessivo. Então, afinal, quantas vezes é possível utilizar o FGTS para financiamento? Confira a resposta a seguir!

Uso para dar entrada no financiamento

Como o financiamento corresponde a uma porcentagem do valor do imóvel, muita gente usa os recursos do FGTS para dar entrada no financiamento. Nesse caso, é possível usar o valor do FGTS para cobrir toda a entrada, caso haja saldo disponível.

Uma vez que os recursos sejam utilizados para esse fim, é necessário esperar um período de 3 anos para usar novamente. Assim, quem começar um financiamento em 2017 só poderá dar entrada em outro com os recursos do fundo de garantia, no mínimo, em 2020. [Ler mais …]

Como comprar um imóvel usando Carta de Crédito

O que é uma Carta de Crédito

Saiba como usar a sua carta de crédito
Saiba como usar a sua carta de crédito

É um documento utilizado por consumidores que desejam comprar algum bem. O instrumento não se restringe apenas aos negócios imobiliários.

No Brasil, este mecanismo financeiro é utilizado, por exemplo, no mercado de consórcio. Neste caso, o cliente contemplado recebe uma carta no valor do bem e vai adquiri-lo por conta própria. [Ler mais …]

Caixa anuncia redução de juros para financiamento imobiliário

Redução será de até 0,25 ponto percentual para todas as linhas.
Taxa balcão – para não clientes – passa de 11,22% para 11% ao ano.

A hora de conseguir o melhor financiamento é agora!

[Ler mais …]

Caixa anuncia novas taxas para financiamento imobiliário

A Caixa Econômica Federal anunciou na última terça-feira (8), uma redução de 0,25% ao ano na taxa de juros para pessoa física. Além disso, houve a diminuição da cota mínima de financiamento dentro do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). Essa redução será aplicada em todas as linhas de financiamento imobiliário.

sao-paulo-zappro

Terá taxa de juros especiais os cliente que forem comprar um imóvel novo ou na planta, cuja a construção tenha sido financiada pela Caixa e optaram por receber o salário pelo mesmo o banco. Dessa maneira, as taxas passariam de 11,22% para 9,75%, para os imóveis que se encaixam no Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Já para os imóveis que se encaixam no Sistema  de Financiamento Imobiliário (SFI),  cai de 12,5% ao ano para 10,75%. [Ler mais …]

Financiamento Bancário da Caixa Econômica

Aquisição de imóvel novo através do financiamento bancário

O que é

Com essa linha de financiamento, a Caixa ajuda você e sua família a comprar seu imóvel novo e o seu FGTS pode fazer parte do pagamento. O financiamento é feito pelo Sistema Financeiro de Habitação e tem como garantia a alienação fiduciária. A prestação não pode ser maior que 30% da sua renda familiar bruta.

Para facilitar, utilize o simulador. Ele aponta quais as melhores opções de acordo com o seu perfil e ajuda na sua decisão para escolher o melhor financiamento. Veja a que melhor se encaixa no seu bolso e mãos à obra!

Clique aqui e conheça algumas características do Crédito Imobiliário Caixa. [Ler mais …]

Caixa vai financiar compra de imóveis de até R$ 3 milhões

São Paulo – A Caixa Econômica Federal vai elevar o teto do valor de imóveis financiáveis pelo banco, o percentual de financiamento para imóveis de valores maiores e facilitar condições para construtoras, num esforço para acelerar os desembolsos no segundo semestre, disse um executivo do banco.

Uma das principais medidas do pacote, previsto para ser anunciado na próxima segunda-feira, é dobrar para 3 milhões de reais o valor máximo dos imóveis que podem ser financiados pelo banco, de acordo com o vice-presidente de Habitação da Caixa, Nelson Antonio de Souza.

Além disso, segundo ele, a Caixa elevará a cota de financiamento no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), usado para imóveis de valor superior a 750 mil reais, de 70 para 80 por cento nos imóveis novos, e de 60 para 70 por cento no caso de usados.

O banco também está reabrindo e expandindo uma linha que permite a transferência de financiamento imobiliário que tenha sido contratado com outros bancos.

Com isso, mutuários poderão transferir para a Caixa até 70 por cento do empréstimo que tenha tomado com outras instituições financeiras. O limite hoje é de 50 por cento.

Outras medidas para pessoas físicas incluem elevar o nível de aprovação das propostas pelo banco, hoje em torno de 80 por cento, além de uma intensa campanha de divulgação.

“No segundo semestre temos que fazer muito mais”, disse Souza em entrevista à Reuters.

No ano até junho, a Caixa, maior financiador imobiliário do país, concedeu menos de 39 bilhões de reais, de um orçamento para o ano hoje em cerca de 93 bilhões de reais.

O esforço para fazer o setor, um dos que mais refletem a forte recessão no país, voltar a ganhar tração inclui também flexibilização de parâmetros para concessão de recursos às construtoras.

Uma das iniciativas nesse sentido é a reabertura do chamado Plano Empresário (PEC), mecanismo simplificado de financiamento que tinha sido suspenso por causa do aumento da inadimplência e do grande volume de renegociações.

Além de ser reaberta, a linha terá o prazo de amortização estendido de 6 para 12 meses, com carência de 6 meses.

CAIXA

[Ler mais …]